Boa Noite, e Boa Sorte

Por
André Vendrami
Jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Catarina

É com um “boa noite, e boa sorte” que Edward R. Murrow encerra o famoso programa de jornalismo investigativo com uma das maiores audiências da CBS nos anos 50, o See It Now. Apresentador do programa, Murrow (David Strathairn) e seus jornalistas, entre eles o produtor Fred Friendly (George Clooney), o redator Don Hollenbeck ( Ray Wise), Joey (Robert Downey Jr) e Shirley Wershba (Patricia Clarkson), descobrem que o governo americano não tem prova sobre acusações que faz envolvendo pessoas com o comunismo. No caso, um membro da Força Aérea é afastado e preso por ser comunista, em razão de suspeitas contra seu pai.

É esse o cenário político em que se desenvolve a trama de “Boa Noite, e Boa Sorte” (Good Nigth, and Good Luck, 2005), segundo longa metragem dirigido por George Clooney (sua primeira atuação como diretor foi em “Confissões de uma mente perigosa”). O período conhecido como Macarthismo é o momento histórico do filme. O tal membro da Força Aérea é afastado por influência do senador Joseph McCarthy, que instaurou a chamada Caça às Bruxas, como ficou conhecida a perseguição a supostos integrantes do Partido Comunista infiltrados em todos os setores dos EUA. Qualquer um que repudiasse as atitudes de McCarthy poderia ser incluído na famosa lista de “comunistas em potencial”, sem necessidades de outros motivos.

“Boa noite, e Boa Sorte” é um filme que se passa nos anos 50, auge da Guerra Fria entre os EUA e a URSS, mas fica completamente atual. A semelhança entre o Macarthismo e a “guerra contra o terrorismo” de George W. Bush não é mera coincidência. E para fazer valer sua característica de investigação, a equipe do programa de Murrow cavou informações mostrando todos os lados da questão que envolvia o membro da Força Aérea. Além disso, conseguiu usar contra McCarthy, ele mesmo.

Aliando a estética escolhida para o filme com a época retratada, Clooney gravou o longa metragem em preto e branco. E com esse recurso conseguiu utilizar cenas do próprio senador McCarthy no filme. Todos os planos com a figura do senador são verdadeiros – imagens de arquivo – e mostra bem como o próprio encenava para as câmeras. É interessante ver como “Boa Noite, e Boa Sorte” mostra a reação do senador quando consegue direito de resposta no programa See It Now. O contra-ataque político fica por conta de ataques a vida pessoal dos integrantes da equipe de Murrow. Até mesmo o próprio apresentador é o mais atacado, além da pressão feita aos patrocinadores do programa.

Não há sequer uma cena externa no filme, não se sabe nada da vida pessoal dos jornalistas ali retratados – com exceção do casal Joey e Shirley, que precisam esconder na empresa que são casados, pois a CBS não permite união entre funcionários. Todo o tempo praticamente se passa nos corredores e salas da rede de televisão. O ambiente se torna um tanto claustrofóbico, mas representa e leva o espectador a conhecer de fato os escritórios da CBS. A direção de arte teve o trabalho minucioso de recriar os estúdios e a redação da empresa da forma mais possivelmente fiel à realidade. E mesmo deixando transparecer a frieza a e impessoalidade do ambiente. A tensão é constante. A pressão do relógio, a correria, o suor, os muitos cigarros, tudo caracteriza a profissão dos jornalistas. E para dar um toque de requinte e criar uma atmosfera verdadeiramente anos 50, as músicas de jazz se tornam presença marcante nas transições de cenas. “Boa Noite, e Boa Sorte” foi indicado a seis categorias do Oscar 2006 e mais quatro indicações ao Globo de Ouro.


FICHA TÉCNICA

Título Original: Good Night, and Good Luck
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 93 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 2005
Site Oficial: www.goodnightandgoodluck.com
Estúdio: Warner Independent Pictures / 2929 Productions / Redbus Pictures / Section Eight Ltd. / Metropolitan / Participant Productions / Davis-Films / Tohokashinsha Film Company Ltd.
Distribuição: Warner Bros.
Direção: George Clooney
Roteiro: George Clooney, baseado em roteiro de Grant Heslov
Produção: Grant Heslov
Fotografia: Robert Elswit
Desenho de Produção: James D. Bissell
Direção de Arte: Christa Munro
Figurino: Louise Frogley
Edição: Stephen Mirrione

Elenco:
David Strathairn (Edward R. Murrow)
Robert Downey Jr. (Joe Wershba)
Patricia Clarkson (Shirley Wershba)
Ray Wise (Don Hollenbeck)
Frank Langella (William Paley)
Jeff Daniels (Sig Mickelson)
George Clooney (Fred Friendly)
Tate Donovan (Jesse Zousmer)
Thomas McCarthy (Palmer Williams)
Matt Ross (Eddie Scott)
Reed Diamond (John Aaron)
Robert John Burke (Charlie Mack)
Grant Heslov (Don Hewitt)
Alex Borstein (Natalie)
Rosie Abdoo (Millie Lerner)

Advertisements