Rede de Intrigas

Por Natacha Amaral
Jornalista formada pela Universidade Federal de Santa Catarina

Rede de Intrigas (Network) é a história do famoso apresentador Howard Beale (Peter Finch), da poderosa rede de televisão USB, demitido por causa de seus baixos índices de audiência. Conhecido antes como “patriarca” dos apresentadores, o jornalista entra em decadência após a morte da esposa e se torna alcoólatra. Desiludido, Beale comunica sua saída da emissora e anuncia, no ar, que se matará durante o programa da semana seguinte. O apresentador é retirado às forças e afastado do programa.

Aparentemente arrependido de sua atitude, Beale pede à emissora a chance de pelo menos esclarecer ao público o motivo de sua declaração bombástica. A chance é concedida com certa resistência, e, quando colocado no ar novamente, o apresentador não se limita apenas a se desculpar, mas faz uma condenação severa ao tédio da vida. O episódio leva ao desespero os dirigentes da USB e da CCA, grupo controlador da USB. O dirigente da Divisão de Jornalismo da rede, Max Schumacher (William Holden), é demitido.

Produtores inescrupulosos, porém, vêem na loucura de Howard Beale um modo de entreter o público, recuperar os índices de audiência e se livrar de uma grandiosa dívida contraída pela empresa. Analisando a repercussão de Beale na mídia, a ambiciosa Diana Christensen do Departamento de Programação da USB, papel da atriz Faye Dunaway de Bonnie e Clyde, convence o presidente da CCA, Frank Hackett (Robert Duvall), a explorar a loucura do apresentador.

Howard Beale volta ao ar, agora sob comando de Diana, e começa a atrair multidões com discursos inflamados, proferidos num tom alterado, quase que profético em um programa de auditório. O apresentador se transforma em um ícone, um “profeta louco” que diverte e, ao mesmo tempo, “articula a ira popular”. Após alguns programas, porém, Beale começa a denunciar os interesses da CCA e de outras corporações gigantescas com ela associadas. Os dirigentes da USB percebem então que exageraram no poder de Beale com o público e tentam, percorrendo um trilha de interesses e intrigas, resolver o caso. Os interesses da CCA e USB começam a se chocar. As pessoas responsáveis pela ascensão de Beale agora querem detê-lo.

Rede de Intrigas faz uma crítica severa e mordaz à falta de ética da televisão, à massificação do público e à mentalidade puramente capitalista e inescrupulosa dos poderosos que estão nos bastidores da TV. Discute o papel dos meios de comunicação da massa e a necessidade de um controle social. Expõe os interesses existentes entre conglomerados empresarias que controlam os meios de comunicação, sobretudo a televisão. Critica também a aceitação passiva e cega do conteúdo televisivo por parte do público – público este capaz de acreditar que o “tubo” é a realidade e a vida é irreal.

Considerado pelo American Film Institute um dos cem melhores clássicos do cinema americano, Rede de Intrigas é vencedor de quatro Oscars, incluindo o de melhor ator para Peter Finch, melhor atriz para Faye Dunaway e melhor roteiro.Lançando em 1976, mas já carregado de modo impressionante com aspectos da mídia contemporânea, o drama nos faz questionar até que ponto Howard Beale era um profeta louco. Talvez fosse apenas um aguçado observador da sua realidade e um visionário da nossa ao dizer que a TV é um “trupe ambulante de acrobatas, um circo, um parque de diversões, que reduz tudo na vida a uma comum banalidade”.

FICHA TÉCNICA

Título Original: Network
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 122 minutos
Ano de Lançamento (EUA):
1976
Direção: Sidney Lumet
Roteiro: Paddy Chayefsky
Produção: Howard Gottfried
Música: Elliot Lawrence
Direção de Fotografia: Owen Roizman
Desenho de Produção: Philip Rosenberg
Figurino: Theoni V. Aldredge
Edição: Alan Heim

Elenco
Faye Dunaway (Diana Christensen)
William Holden (Max Schumacher)
Peter Finch (Howard Beale)
Robert Duvall (Frank Hackett)

Advertisements