O professor Francisco José Karam está iniciando a pesquisa Jornalismo e Sociedade da Informação e do Conhecimento: ciberespaço, crise de identidade, fiscalização moral e vitalidade democrática – nova etapa profissional?.

Leia um relato sobre esta nova investigação:

Seria demasiado reivindicar e/ou reconhecer uma permanente “oposição” ao Jornalismo?

Talvez seja mais fácil aceitar que os tradicionais processos de produção do tipo jornalístico concorrem cada vez mais, contemporaneamente, com processos de produção de conteúdos informativos não jornalísticos em dois cenários simultaneamente em conflito e em complementaridade: de um lado, a satisfação de demandas sociais específicas, seja de um grupo de médicos, marceneiros , servidores públicos em particular ou do público em geral promovidos por mídias de referência ou por novas mídias segmentadas; de outro, o universo da produção típica jornalística e, ao mesmo tempo, às margens das tradicionais formas de confecção do produto jornalístico e às margens do que se chamaria categoria profissional.

Os novos processos, especialmente no ciberespaço, concorrem, de forma profissional jornalística ou de maneira mais informal e relativamente “amadora”, para redefinir os espaços de legitimidade e credibilidade jornalísticos? Seriam formas de corrigir e trabalhar informações sem a clássica mediação jornalística? Ameaçariam a identidade profissional? Concorreriam com mídias jornalísticas tradicionais, ainda que no ciberespaço, para a constituição de uma nova etapa profissional ao redor de velhos e novos valores teóricos, técnicos e éticos para a atividade?

A pesquisa, desenvolvida junto ao Departamento e Mestrado em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina, inserida na linha de pesquisa Fundamentos do Jornalismo, recorre a um conjunto de estudos, publicados em diferentes sítios digitais em diversos pontos do planeta – mapeados a partir do sítio blog http://www.objethos.wordpress.com que produzem, estimulam e criam controvérsia ao redor do exercício da profissão jornalística. Por situarem-se na confecção virtual de conteúdos, aceleram os processos de acesso e de conhecimento próprios para pesquisas mais atuais sobre a área. Trazem significativa variedade de pesquisas e de conflitos vividos, em torno de aspectos teóricos, éticos e técnicos para a atividade profissional, ainda que seus contornos estejam em constante mudança e redefinição.

O projeto se propõe a questionar o cenário e a situar o panorama dos fundamentos do jornalismo na Sociedade da Informação e do Conhecimento a partir dos seguintes eixos: a) permanência e redefinição de princípios teóricos, éticos e técnicos do jornalismo na SIC e no Ciberespaço; b) relevância do jornalismo para a vitalidade democrática; c) relevância da fiscalização do jornalismo para a vitalidade democrática; d) produção de conteúdos informativos a partir das fontes e sem mediação jornalística; e) identidade e nova etapa profissional.