Confidencial

Por Mayara Vieira
Acadêmica de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina

Confidencial (2006) conta a história de Truman Capote (Toby Jones) durante os seis anos que escreveu o livro-reportagem, A Sangue Frio. Para nós jornalistas, vale destacar que muito mais que a história propriamente dita, o filme revela o caráter duvidoso do escritor marcado por mentiras e técnicas de persuasão questionáveis sob o ponto de vista da ética profissional e jornalística, além de seu envolvimento emocional com uma das personagens centrais da trama.

A obra, promovida pelo autor como o primeiro romance de não-ficção, marcou o início do Novo Jornalismo, em que o autor usou técnicas narrativas típicas da ficção para contar a história verdadeira do assassinato da família Clutter, apurado como notícia. A partir de uma nota lida no jornal, em novembro de 1959, sobre a morte dos quatro membros da família em sua própria casa no Kansas (EUA), Capote decide explorar como um crime brutal afeta uma cidade pequena, onde predominam a tranquilidade e a confiança entre os vizinhos.

No começo da investigação ele conta com a ajuda de sua amiga, a também escritora Harper Lee (Sandra Bullock). Truman era homossexual e excêntrico para a pequena e conservadora cidade de Holcomb. Para conquistar a confiança das fontes, ele fazia agrados e contava boas histórias – o filme não deixa explícito, mas parecem falsas – sobre amizade e momentos vividos com grandes celebridades. Truman era ardiloso, sabia instigar e persuadir suas fontes.

Para narrar a trajetória dos assassinos, Perry Smith e Dick Hickock, Capote obteve a confiança e a amizade irrestrita destes e conseguiu fazê-los contar todos os detalhes do crime e também suas histórias de vidas, visitando-os na prisão. Por afeto e por empatia com um passado repleto de desgraças, o escritor se envolve emocionalmente com Perry. Em uma das cenas eles se beijam, mas Capote não perde a racionalidade e o seu foco em lançar o livro assim que a história tenha um desfecho. A Sangue Frio, traz um denso perfil psicológico de cada um dos envolvidos feitos a partir de entrevistas. Estas eram feitas sem gravador ou anotações, o escritor usava apenas sua boa memória e sua capacidade de observar.

Diferente de Capote (2005) – filme que trata da mesma história -, Confidencial (2006) é mais profundo nas emoções dos personagens, o que reflete a origem do roteiro. O segundo veio de um livro criado a partir de relatos e fofocas de pessoas que conheceram o escritor, enquanto o primeiro foi feito a partir de uma biografia austera.

Um outro aspecto interessante e original do filme a destacar são as entrevistas feitas com os personagens, como se eles fossem de verdade amigos do Truman e não atores interpretando esses amigos. A medida que aparece trechos das entrevistas, a narrativa vai se desenrolando e a estratégia propicia, em alguns momentos, a impressão de estar assistindo um documentário.

Truman Capote enriqueceu muito com esta obra, mas esta foi sua última considerada relevante. O desfecho da história com a condenação dos criminosos à morte, principalmente de Perry com quem se envolveu, chocou muito Capote. Debilitado pelo álcool e pelas drogas, o escritor morreu em Los Angeles, em 1984, após uma parada cardíaca.

FICHA TÉCNICA

Confidencial (Infamous / EUA, 2006 – 117 minutos)
Gênero: Drama
Direção: Douglas McGrath
Roteiro: Douglas McGrath
Elenco: Toby Jones, Sandra Bullock, Lee Pace e Daniel Craig