Paparazzi

Joana Caldas

Acadêmica de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina

Paparazzi é, essencialmente, um filme de ação e suspense. Um filme pipoca, daqueles que você fica tenso esperando o que acontecerá na próxima cena. A história é sobre um ator chamado Bo Laramie. Ele fica famoso após o lançamento de um filme de ação e vira o mais novo galã de Hollywood. Ele e sua família, a mulher Abby e o filho pequeno Zach, deverão agora aprender a lidar com a fama. Logo os paparazzi chegam e a família é envolvida em um acidente. Bo quer vingança e contrata um detetive para tentar incriminar os fotógrafos.

A discussão do filme é centrada nos paparazzi do título e na ética de seus trabalhos. O que eles fazem é certo? É invasão de privacidade? Podem fotografar quem quiserem em locais públicos? Até onde podem ir para tirar uma foto exclusiva? As fotos que eles tiram são de interesse público? Até que ponto o público é culpado pela existência desses profissionais?

Em uma das primeiras cenas, um paparazzo está tirando fotos de Zach jogando futebol em um campeonato. Bo aproxima-se do fotógrafo e gentilmente pede que pare. Mas ele continua e o ator dá um soco nele. Então uma porta de um carro que estava atrás se abre e Bo vê que estava sendo filmado por colegas do paparazzo. Ele é preso e depois solto, com a condição de fazer terapia para controlar a raiva. Isso é dado em um noticiário da rede de TV a que o Rex Harper, o fotógrafo que levou o soco, assiste confortavelmente em sua casa. Com raiva do ator, Harper jura vingança.

Os paparazzi deste filme são extremamente antiéticos. Eles fazem planos e mais planos para tentarem atrapalhar a vida de Bo, como roubar o lixo da casa dele para achar documentos comprometedores e persegui-lo de carro para tirar fotos da família. Nessa perseguição, causam um acidente. Bo sai ileso, mas sua mulher e seu filho se machucam bastante. Os fotógrafos saem do carro depois do acidente. Enquanto um deles chama uma ambulância, os outros pegam suas câmeras e tiram várias fotos. Esta parte lembra bastante o acidente fatal sofrido pela Princesa Diana em agosto de 1997. Naquela situação, após a batida, os paparazzi também fotografaram o acidente, enquanto um deles chamava uma ambulância. Voltando ao filme, o filho de Bo, Zach, entra em coma e os paparazzi chegam no extremo de ir ao hospital tirar uma foto dele deitado enquanto o pai chora ao seu lado.

Uma discussão interessante apresentada no filme se passa logo depois do incidente em que Bo dá um soco em Harper. A filmagem do acontecimento passou na televisão. O fotógrafo é reconhecido em uma boate enquanto conversa com duas moças. Falam sobre a profissão de Harper. Uma delas diz que gosta de tablóides porque são divertidos; a outra comenta que o paparazzo machuca as pessoas com suas fotos. Ele então responde que apenas tira as fotografias, mas não obriga ninguém a olhá-las. Fica aí o debate sobre o interesse do público por esse tipo de informação.

Como filme, Paparazzi é um suspense com várias falhas. Em muitos momentos é inverossímil demais e os personagens não parecem pensar muito antes de cometerem atos que têm graves consequências. Se você não levar isso muito a sério, pode se divertir. Existem aparições de atores famosos, como Mel Gibson (também produtor do filme), Chris Rock, Vince Vaughn e Matthew McConaughey.

FICHA TÉCNICA

Título original: Paparazzi
Produção: Estados Unidos, 2004
Duração: 84 min.
Diretor: Paul Abascal
Elenco: Cole Hauser, Robin Tunney, Tom Sizemore, Dennis Farina