Interview

Joana Caldas

Acadêmica de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina

Interview é um adequado filme para se pensar sobre a ética de um repórter. A história se passa em Nova Iorque e tem apenas dois atores. Os outros pouco aparecem – são praticamente figurantes. O personagem principal Pierre Peders (Steve Buscemi) é repórter de política determinado a fazer uma entrevista como uma atriz famosa, Katya (Sienna Miller).

Por que um repórter de política faria uma entrevista com uma atriz? Pois é, Pierre não está nada satisfeito com isso e as primeiras cenas do filme consistem nele reclamando com o irmão, dizendo que a atriz é mais conhecida por sua vida pessoal do que pelo trabalho. Ele gostaria mesmo é de pegar um voo para Washington e cobrir política, mas seu editor lhe deu o desagradável trabalho de entrevistar a atriz.

As situações e jogos entre repórter e fonte ocorrem durante todo o filme. Há praticamente só os dois atores contracenando entre si, cada personagem defendendo seu interesse na entrevista. Os questionamentos sobre as atitudes dos dois já começam quando se encontram pela primeira vez. Pierre, como não estava muito interessado na entrevista, chega despreparado, sem ler nada sobre a atriz ou ver algum filme dela. Justifica a ela que gosta de conhecer a pessoa na hora da entrevista, ao invés de ler antes. Katya parece não aprovar. Como chegou atrasada, o repórter aumenta a má vontade com ela.

Uma série de incidentes levam repórter e fonte para o apartamento da moça. E é lá onde o jogo fica mais intenso. Aproveitando que a  atriz vai atender o celular no quarto, Pierre filma o lugar sem o conhecimento da dona, ultrapassando os limites éticos da atividade profissional e colocando em cena o questionável método da câmera escondida em qualquer situação. E, sobretudo, porque já havia avisado a atriz que o gravador de áudio estava estragado. Levou, então, a câmera de vídeo e disse que a usaria para gravar o áudio. Eles bebem, contam histórias e, ao final, fica-se entre uma conversa pessoal e uma entrevista informal, com perguntas que incluem a razão da atriz fazer filmes ruins e como se sente como estrela.

A maioria do filme se passa no apartamento de Katya, de forma a lembrar um teatro: um cenário e os atores interagindo entre si. A atuação dos protagonistas é excelente; os atores aparecem bem naturais nos papéis reservados  a cada um. Sienna Miller, ótima como sempre, repete a qualidade de interpretação de Uma Garota Irresistível (Factory Girl). Steve Buscemi convence como o repórter inescrupuloso. Ele é, também, o diretor do filme e um dos roteiristas.

Vale lembrar que o longa-metragem é uma refilmagem de um filme holandês de 2003, com o mesmo título de Interview. Há várias referências ao filme original, como a garota que sai da limusine – que interpretava Katya no longa holandês -, e um caminhão em que se pode ler “Van Gogh movings”, uma homenagem ao diretor do original, Theo Van Gogh.

O filme vale pelas interpretações e pelo jogo repórter-fonte. Trata-se de ótimo entretenimento, daqueles que gruda você no sofá até o final. E é um ótimo filme para se pensar sobre jornalismo.

FICHA TÉCNICA

Título original: Interview
Produção: EUA/Canadá/Holanda, 2007
Duração: 84 min.
Diretor: Steve Buscemi
Elenco: Steve Buscemi,  Sienna Miller