Dilma Rousseff assumiu a presidência, indicou um novo ministro das Comunicações, mas isso não atraiu muito a atenção. Pelo menos é o que sinalizam os resultados da enquete do objETHOS que perguntava sobre Paulo Bernardo no ministério. Criada em 31 de janeiro, a consulta ficou no ar até 19 de fevereiro, e foram computados apenas nove votos. Não bastasse o desinteresse expresso, 56% dos votantes disse “não ter opinião” sobre o tema, e os demais se dividiram entre “aprovar” e “desaprovar” o nome do novo ministro.

Apesar disso, o novo ministro tem à frente grandes desafios: levar adiante o Plano Nacional de Banda Larga, tratar de regras para convergência, e conduzir os trabalhos para um novo marco nacional nas Comunicações.

Advertisements