Medo e Delírio

Daiane Schmitt
Jornalista graduada pela Universidade Federal de Santa Catarina

Os mais variados tipos de drogas e as alucinações que elas podem causar foram retratados em Medo e Delírio, do diretor e roteirista Terry Gilliam. O filme mostra viagem a Las Vegas do jornalista Hunter Thompson, interpretado por Johnny Depp, e seu advogado Oscar Acosta, na pele de Benício Del Toro, para cobrir o Mint 400 – uma corrida de motos no deserto de Nevada. Na bagagem, muita maconha, cocaína, éter, bebidas e todo tipo de estimulante, colecionados em uma mala.

Baseado no livro Fear and Lothing in Las Vegas , do jornalista Hunter Thompson, o filme se excede em situações inverossímeis que simulam as alucinações dos dois viajantes. Um exemplo disto é na cena em que  Hunter e Oscar estão viajando pelo deserto e encontram um moço pedindo carona na estrada. Não há como saber se o rapaz realmente existiu ou se foi mais uma alucinação do jornalista. Outro exemplo da paranóia dos dois viajantes é quando o jornalista está em um bar e, de repente, todas as pessoas para quem olha se transformam em dinossauros ou monstros.

Os fatos não seguem uma lógica. O filme apresenta uma seqüência de maluquices e acontecimentos bizarros. A falta de lógica, no entanto, não impede que o expectador se divirta e fique cada vez mais boquiaberto com as situações vividas ou imaginadas pelo jornalista e seu advogado. Um desses acontecimentos foi quando Oscar trouxe para o hotel uma adolescente que pintava quadros com a intenção de “ajudar” a moça (Lucy, interpretada por Christinna Ricci). Ele deu LSD para a menina e queria ficar com ela. Thompson, num momento de lucidez, convenceu o amigo a desistir da adolescente.

A apuração jornalística de Hunter Thompson pouco aparece no filme. Na realidade, porque ela talvez nem tenha acontecido. Ao cobrir a corrida de motos, o único fato que Thompson acompanha é a largada. O jornalista chega a seguir a corrida de carona, mas desiste no meio do deserto e desce do carro com uma cerveja cheia de lama na mão. Após a cobertura do Mint 400, Thompson foi apurar uma matéria em uma conferência de policiais sobre combate às drogas. Ele e o advogado assistem à palestra chapados, como sempre, e ficam abismados com as “bobagens” que são ditas no evento.

Em Medo e Delírio, não fica claro se as matérias do jornalista são publicadas em algum lugar na imprensa, mas a realidade é que elas saíram na revista Rolling Stones e depois em livro. No lugar de trazer uma cobertura fiel dos eventos, as reportagens retrataram a fragilidade do american way of life (ou “sonho americano”), uma das buscas constantes dos protagonistas no filme.

Hunter Thompson foi o criador do chamado Jornalismo Gonzo, no qual o repórter se mistura aos fatos, pode utilizar-se da ficção, não é fiel ao assunto principal da matéria e escreve em primeira pessoa. O filme também foi em primeira pessoa e apresentou características semelhantes às do Jornalismo Gonzo. Muito além de ser um filme sobre a cobertura de um evento por um jornalista, Medo e Delírio é, antes disso, um retrato do uso descontrolado de drogas.

Em fevereiro de 2005, o jornalista Hunter Thompson se matou com um tiro. Ele estava ao telefone com sua esposa e os dois conversavam. De repente, ela escuta um barulho de tiro e Thompson não retorna à ligação.

FICHA TÉCNICA

Título original: Fear and Loathing in Las Vegas
Produção: 1998, EUA
Duração: 118 minutos
Direção: Terry Gilliam
Roteiro: Terry Gilliam, Tony Grisoni, Tod Davies e Alex Cox
Produção: Patrick Cassavetti, Laila Nabulsi e Stephen Nemeth
Música: Ray Cooper e Michael Kamen
Direção de Fotografia: Nicola Pecorini
Direção de Arte: Chris Gorak
Edição: Lesley Walker
Atores principais: Johnny Depp, Benicio Del Toro, Tobey Maguire, Cameron Diaz, Craig Bierko, Christinna Ricci

Advertisements