Arquivo pessoal

Justamente quando, como disse Gay Talese, “o jornalismo está se tornando preguiçoso”, Marco Aurélio Braga é recebido pela UFSC para falar de jornalismo investigativo. Atualmente, trabalha na Rádio Mais FM, mas direcionou sua carreira e especialização para o jornalismo impresso e para a investigação profunda da reportagem. Trabalhou em ANotícia, Gazeta de Joinville e na produção da RBSTV. Hoje, para a equipe do ObjETHOS, diz “concordo em gênero, número e grau com a afirmação do Gay Talese, o jornalismo está preguiçoso. Não só pelas dificuldades do jornalismo investigativo, mas pela falta de interesse dos próprios profissionais em fazê-lo.”
Ouça o que ele tem a dizer sobre ética e profissão: