Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por jornalismo e ética:

  • Brasil: retornam as discussões sobre conselhos estaduais de comunicação, e a Bahia sai na frente, comenta o professor Venício A. de Lima: http://bit.ly/lEySDh
  • Brasil: Alberto Dines comemora os 15 anos do Observatório de Imprensa, a experiência mais sólida e longeva sobre media criticism da América Latina: http://bit.ly/lnltmR
  • “O WikiLeaks redefine o segredo de estado“, analisa o veterano jornalista colombiano e especialista em ética jornalística Javier Darío Restrepo. Em espanhol: http://bit.ly/jqUqAO
  • No dia mundial da liberdade de imprensa, relatório de Danny O’Brien, do Comitê de Proteção aos Jornalistas, aponta dez ferramentas dos opressores na internet: http://bit.ly/k8QmKc
  • Por conta da mesma data, a International Freedom Expression Exchange (IFEX), uma das ONGs mais articuladas sobre o tema, lançou um site específico. Em inglês: http://ifex.org/wpfd/
  • Não são apenas os jornalistas de veículos ocidentais que sofrem com perseguições políticas no Oriente Médio. A rede de TV Al-Jazeera, do Qatar, apela para o retorno de sua repórter desparecida na Síria. Em inglês: http://bit.ly/k9zJML
  • O presidente dos Estados Unidos Barack Obama foi à TV para informar a morte de Osama Bin Laden. Uma foto do pronunciamento correu o mundo, mas ela foi encenada. Isso fere a ética jornalística, pergunta-se o jornalista brasileiro Alec Duartehttp://bit.ly/lsPnEc
  • Daniel Cornu, ombudsman das publicações do grupo Edipress Suisse, aponta falhas da mídia ao disseminar mundialmente uma fotografia falsa do corpo de Bin Laden. Em francês: http://bit.ly/jUFHTJ
  • No Brasil, o Observatório da Imprensa em seu programa radiofônico, embala na questão e se pergunta: a mídia deve publicar tais fotos ou não? http://bit.ly/ji8ME5