Angelina Nunes é diretora da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). Em uma de suas reportagens investigativas -“Homens de bens da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro”-, recebeu diversos prêmios, entre eles o Rey de España, Esso de Jornalismo, IPYS/Transparência Internacional e, em 2005, esteve entre os cinco finalistas do Prêmio Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano. Dois anos depois, também ganhou um Vladimir Herzog por outra série investigativa – “Os brasileiros que ainda vivem na ditadura”.

Angelina se formou em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, entrou em O Globo em 1991, e já trabalhou como produtora de vídeo, rádio, TV e no jornal O Dia. Fez pós-graduação na Escola de Políticas Públicas e Governo do Iuperj e MBA em Formação de Executivos Infoglobo. Ouça o que ela tem a dizer sobre ética, jornalismo e os riscos da investigação: