O Homem do Sputnik

Por Thayza Melzer
Acadêmica de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina

Homem do Sputnik é Anastácio Fortuna, um caipira pobre que levava uma vida tranqüila cuidando de suas galinhas até a noite em que o satélite russo caiu em suas terras. A princípio, a única preocupação de Anastácio são suas galinhas que morreram no incidente, mas isso muda quando, na manhã seguinte, sua esposa Cleci lê a notícia sobre o Sputnik e reconhece o objeto através da foto. Na matéria, uma informação valiosa: aquele globo metálico é forrado de ouro. Imediatamente Anastácio começa a planejar a compra de um novo galinheiro e Cleci a sonhar com uma vida de luxo e glamour.

Enquanto sua esposa entra em contato com o Departamento de Pesquisas Interplanetárias para tentar conseguir algum dinheiro com o Sputnik, Anastácio o leva para o setor de penhores do banco. Quem o atende é Dorinha que, assim que sabe da história, liga para o seu namorado, o colunista social Jacinto Boucha (pseudônimo de Nelson) do jornal Tribuna da Cidade e relata sua descoberta. O repórter Alberto, colega de redação do colunista, escuta a conversa e corre para ser o primeiro a entregar o furo para o diretor do jornal. Quando Nelson confronta Alberto e questiona sua ética, o repórter se defende explicando que vale tudo por um furo e os dois iniciam uma disputa para conseguir mais informações sobre o caso.

Nelson cria uma história e convence a polícia que Alberto é um ladrão que roubou sua carteira e seu concorrente acaba preso. Sozinho, ele encontra sua namorada e Anastácio e fica sabendo de toda a história sobre a queda do Sputnik. Aconselha Anastácio a esconder o satélite e garante que assim ele vai ganhar muito mais dinheiro do que no penhor. De volta ao jornal, o diretor exige que Nelson pare de se meter em reportagens e cuide apenas de sua coluna. E. ainda, que passe todas as informações para Alberto, que conseguiu sair da cadeia.

A notícia é capa da Tribuna da Cidade e o casal Fortuna vira celebridade instantânea. Toda a imprensa e muitos curiosos se acumulam em frente a casa de Anastácio e Cleci para descobrir mais detalhes sobre o caso. O Homem do Sputnik fica famoso no país inteiro e também no mundo. A notícia chega até a Rússia e o alto comando do governo decide viajar até o Brasil atrás do satélite. Os americanos e os franceses tomam a mesma decisão e todos se hospedam no Copacabana Palace, mesmo hotel onde os agora ricos e famosos Fortuna são convidados.

As três nações têm interesse em conseguir o satélite a qualquer custo e cada grupo possui sua proposta para persuadir o casal a vender o Sputnik. Anastácio e Cleci recebem todo o tipo de agrado em troca de informações sobre o local onde o satélite estaria escondido e quando nada parece funcionar, não apenas eles correm perigo como Nelson e Dorinha também. Se “a bolota” é mesmo o Sputnik é a pergunta que se mantém até o final do filme, uma vez que ninguém além dos quatro viu o objeto que caiu no galinheiro de Anastácio.

Mesmo sendo uma comédia, O Homem do Sputnik retrata muito bem a disputa entre os dois jornalistas e a postura ética de cada um deles. Os personagens são firmes nas suas crenças na hora de apurar uma notícia e a postura do diretor do jornal mostra que ele quer o furo de qualquer maneira, desde que não interfira na reputação do jornal. Críticas a maneira como os estrangeiros enxergam o Brasil (ou não enxergam) são mostradas ao mesmo tempo em que os estereótipos do povo russo, americano e francês aparecem como peças-chave da caracterização bem-humorada desses personagens.

 

FICHA TÉCNICA

Título Original:  O Homem do Sputnik
País de Origem:  Brasil
Gênero:  Comédia
Classificação etária: 12 anos
Tempo de Duração: 98 minutos
Roteiro: José Cajado Filho
Produção: Cyll Farney
Música: Radamés Gnatalli
Fotografia: Ozen Sermet
Ano de Lançamento:  1959
Direção:  Carlos Manga
Elenco: Oscarito, Cyl Farney, Zezé Macedo, Neide Aparecida, Norma Bengell, Alberto Pérez, Jô Soares, Hamilton Ferreira.

Advertisements