Francisco José Castilhos Karam
Professor da UFSC e pesquisador do objETHOS

A investigação jornalística e a pesquisa acadêmica na área se encontram amanhã e quarta-feira no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina, durante o 2º Seminário Brasil-Argentina de Pesquisa e Investigação em Jornalismo (Bapijor).

Pesquisadores e jornalistas que atuam diariamente na mídia discutirão a relação entre a política, a técnica e a ética, incluindo as estratégias de abordagem do tema , as dificuldades no exercício da pesquisa e as obstruções ao trabalho profissional. Também discutirão a relação da política com o Estado, com as empresas e com as organizações civis, públicas e privadas. Os métodos não ficam de fora. Casos de riscos profissionais, exemplos de reportagens – resultando até mesmo em livros densos na área -, assim como as ferramentas contemporâneas para viabilizar as pesquisas e as investigações estarão no centro de debates.

Para isso, vários profissionais e professores/pesquisadores, assim como um público já bem amplo, formado por estudantes de graduação e de pós-graduação, por profissionais do mercado e professores de diversas universidades catarinenses e mesmo de fora do estado já se inscreveram para participar do evento, cuja programação completa, bem como o perfil de cada um dos palestrantes, está no site do Bapijor. Ali, percebe-se a dimensão do encontro, com nomes internacionais como Lila Luchessi, Guillermo Mastrini, Sandra Crucianelli, e nomes nacionais, como Luciana Kraemer, Mylton Severiano, Leandro Fortes, James Alberti e Daniela Arbex, acompanhados de professores do Mestrado em Jornalismo da UFSC.

Para o primeiro dia, ao final dos debates também serão lançados cinco livros, em sessão de autógrafos e coquetel abertos ao público: Lila Luchessi com “Nuevos escenarios detrás de las noticias”; Guillermo Mastrini com “Los dueños de la palabra”; Juliana Dal Piva e seu “Em luta pela terra sem mal: a saga guarani contra a escravidão na Bolívia”; Mylton Severiano e “Nascidos para perder”; e Nilson Lage , que relançará, em quarta edição revista e atualizada, o clássico “ideologia e técnica da notícia”. O evento permanece com as inscrições abertas e elas pode ser feitas no momento do credenciamento, a partir das 8h30 de terça, 17.

Na época em que se discute o futuro da profissão e a formação na área, é uma ótima oportunidade para abordar a relevância do Jornalismo a partir da Modernidade e seu papel na democracia contemporânea, quando tanto se problematiza o sentido das representações públicas quanto das novas etapas que aguardam a atividade de pesquisa e do próprio jornalismo.