Rogério Christofoletti
Professor da UFSC e pesquisador do objETHOS

A vida social brasileira tem assistido ao surgimento cada vez mais frequente de modos de organização e participação cidadã. Esses instrumentos vão de entidades constituídas a instâncias de discussão e interferência social. Entre os mais evidentes dispositivos estão os observatórios, que se espalham por diversos quadrantes da vida coletiva. Há observatórios da edução, do mundo do trabalho, das favelas, entre outros tantos, quase sempre voltados às políticas públicas.

Mas os observatórios vão além e afetam também as empresas, como é o caso da comunicação. Observatórios de mídia existem em universidades e fora delas, e ajustam seus olhares para analisar a estrutura e o funcionamento dos veículos bem como os conteúdos e os contextos de produção, processamento e circulação da informação.

Há exatos três anos um grupo de professores e alunos do Departamento de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina criava o Observatório da Ética Jornalística, o objETHOS. Os modelos para o projeto foram o Observatório da Imprensa – o mais antigo e influente media watcher da América Latina, criado em 1996 – e o Monitor de Mídia – uma experiência acadêmica de análise da imprensa catarinense, surgido em 2001. O que diferencia o objETHOS de outros empreendimentos análogos é o seu foco na ética jornalística. Nosso entendimento é que não há jornalismo efetivo, comprometido e transformador sem preocupações éticas. Na verdade, nem mesmo a busca por qualidade técnica e excelência pode ser pensada ao largo de valores morais e balizas deontológicas.

O objETHOS tem propósitos muito claros: exercer uma crítica equilibrada e qualificada dos meios de comunicação com especial atenção à conduta dos profissionais e das organizações de mídia. Com isso, reforçamos um ambiente de discussão das relações entre jornalismo e sociedade pelas vias do direito, da cidadania e da democracia. Desta forma, indiretamente, contribuímos para o aperfeiçoamento de produtos e serviços da imprensa, provocando melhores práticas e maior diálogo entre produtores e consumidores de informação. Grupo de pesquisa e projeto de extensão universitária, o objETHOS se apoia no rigor acadêmico sem ignorar outros saberes, como o empírico, acumulado pelas experiências profissionais e o desenvolvimento da indústria jornalística.

O jornalismo brasileiro vem evoluindo paulatinamente, o que demanda cada vez mais cuidados éticos de empresas e profissionais. O objETHOS quer participar desse processo de qualificação ética da mídia, e por isso, há três anos, oferecemos análises, pesquisas e conteúdo multimídia original.

Para marcar o terceiro aniversário do projeto, lançamos nosso primeiro e-book – Coleção objETHOS de Códigos Deontológicos – que reúne documentos de ética jornalística de trinta países, devidamente traduzidos para o português o que torna a obra inédita no país. O livro é uma forma de reunir e organizar referências dispersas na área, agora num único volume, de forma a facilitar a leitura e a consulta. Para além de um “brinde de aniversário”, esta Coleção objETHOS de Códigos Deontológicos é uma maneira de renovarmos nosso compromisso de atenção à ética jornalística e de atualizarmos nosso fôlego de trabalho.