A exposição “Coronelismo Eletrônico: as concessões de radiodifusão na história política do Brasil” está em exibição até o dia 30 de abril no hall da Biblioteca Central (BU) da UFSC. A abertura oficial ocorre em 14 de março às 18 horas, mas a mostra já está disponível para visitação gratuita durante o horário de funcionamento da BU. O trabalho reúne painéis com dados e documentos sobre o coronelismo eletrônico no Brasil, retratando a relação entre a concessão de licenças de rádio e televisão no país e o cenário político brasileiro, desde Getúlio Vargas até os governos mais recentes. Alguns exemplos de coronelismo reunidos na exposição são os casos da família de Antônio Carlos Magalhães, ex-ministro das Comunicações que controla a Rede Bahia, e da família do ex-presidente Fernando Collor de Melo, responsável pela Organização Arnon de Mello.

A mostra é uma iniciativa do Grupo de Pesquisa Políticas e Economia da Informação e da Comunicação (PEIC), integrado por pesquisadores de universidades de todo o Brasil. Na UFSC, o evento é coordenado pela Profª. Drª. Raquel Longhi e organizado pelo Núcleo de Estudos e Produção Hipermídia Aplicados ao Jornalismo (Nephi-Jor), Observatório da Ética Jornalística (objETHOS) e coordenadoria do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR), com apoio do Departamento de Jornalismo e da Biblioteca Central da universidade.

Este slideshow necessita de JavaScript.