Mariana da Rosa
Mestranda em Jornalismo no POSJOR e pesquisadora do objETHOS

A Agência France-Presse (AFP) lançou em abril uma carta de boas práticas editoriais e deontológicas para seus jornalistas. O documento de 30 páginas traz, além de orientações gerais, tópicos específicos sobre informações econômicas e financeiras, coberturas de situações de conflito, dados fornecidos por testemunhas, e uso de fotografias, vídeos e infográficos.

A agência também destaca o cuidado necessário com as questões de gênero, origem, nacionalidade e orientação sexual, repudiando qualquer discriminação por esses ou outros fatores.

Veja as 10 linhas diretrizes definidas pela agência:

  1.  Os jornalistas da AFP oferecem uma cobertura exata, equilibrada e imparcial da atualidade. Corrigem rapidamente seus erros e o fazem com transparência.
  2. Os jornalistas da AFP têm como objetivo a neutralidade, a ausência de preconceitos ou preferências. Não aceitam influência externa. Não podem ser forçados a realizar uma tarefa profissional que seja contrária a sua consciência.
  3. Os jornalistas da AFP protegem a confidencialidade de suas fontes e jamais as colocam deliberadamente em perigo.
  4. Os jornalistas da AFP respeitam a presunção de inocência.
  5. Os jornalistas da AFP têm o dever de buscar a verdade dos fatos e não repetir passivamente a informação que lhes é fornecida. A dúvida faz parte da cultura do jornalista.
  6. Os jornalistas de foto e vídeo da AFP não manipulam as imagens nem fazem montagens para mudar seus sentidos. Os jornalistas de texto não manipulam as citações.
  7. Os jornalistas da AFP identificam suas fontes de informação com transparência e não plagiam. Não entregam nem enviam suas anotações para que sejam relidas por suas fontes.
  8. Os jornalistas da AFP atuam com cautela nos seus intercâmbios com vítimas ou seus parentes. Devem estar particularmente atentos ao entrevistar, fotografar ou filmar crianças ou menores de idade, e esforçar-se na medida do possível para obter a autorização de seus pais.
  9. Os jornalistas da AFP devem se identificar como tais. Nunca recorrem a subterfúgios, salvo em casos excepcionais aprovados pela hierarquia.
  10. Os jornalistas da AFP não utilizam a informação que dispõem para benefício pessoal, particularmente em âmbito financeiro. Não pagam suas fontes.

[Com informações de Clases de Periodismo]