Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por jornalismo e ética:

  • A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) denunciou o presidente interino Michel Temer para o Ministério Público Federal. O motivo é a exoneração de Ricardo Melo do cargo de diretor-presidente da EBC (Empresa Brasil de Comunicação). Confira a nota: bit.ly/1TsPOwy.
  • Leia também uma reportagem do Nexo Jornal sobre o caso EBC, discutindo a comunicação pública no Brasil: bit.ly/25cLrgJ.
  • Mario Vitor Santos, ex-ombudsman da Folha de S. Paulo, critica a cobertura midiática sobre a queda do governo Dilma no artigo “Apocalipse do jornalismo”: bit.ly/253O9By.
  • O terceiro volume de “Violações de direitos na mídia brasileira” foi lançado pela ANDI (Agência de Notícias dos Direitos da Infância). A pesquisa analisou 28 “programas policialescos”, identificando 15.761 infrações a leis brasileiras em um período de 30 dias. Faça o download gratuito da obra: bit.ly/1qxrBtu.
  • A organização Artigo 19 disponibilizou um relatório que avalia os níveis de transparência nos Tribunais de Justiça estaduais do país, com base na Lei de Acesso à Informação. Acesse: bit.ly/1sDxcQW.
  • O jornalista mexicano Javier Garza Ramos é autor de um relatório sobre ferramentas de segurança digital no jornalismo. Seus resultados apontam que 60% dos entrevistados não utilizam nenhuma forma de proteção, como criptografia em e-mails. Jornalistas norte-americanos e europeus tendem a se preocupar mais com segurança digital, “enquanto que os da América Latina, África e Ásia dão mais peso à segurança física”. Leia mais sobre a pesquisa: bit.ly/1TimASU. O relatório, em inglês, também está disponível: bit.ly/1OP86kE.
  • Juanita León, diretora do portal colombiano La Silla Vacía, foi mencionada na base de dados do Panamá Papers como sócia da empresa Snowville Overseas. A jornalista comentou publicamente o fato e deixou o caso nas mãos do subeditor Juan Esteban Lewin: bit.ly/23Z2blu.
  • Aidan White, diretor da Ethical Journalism Network, reflete sobre a relação histórica entre jornalistas e fontes, tocando em temas como o anonimato: bit.ly/1rTxXEK.
  • A transparência também tem efeitos colaterais, é o que aponta a Red Ética Segura neste caso da Propublica: bit.ly/1XDmgye.
Advertisements