Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por jornalismo e ética:

  • Os resultados de uma pesquisa sobre desigualdade de gênero avaliou que 77,9% das jornalistas brasileiras já sofreram assédio moral por chefes ou colegas de trabalho. O Coletivo de Mulheres Jornalistas, ligado ao Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal, entrevistou 535 profissionais de 21 estados. Confira os demais resultados: bit.ly/28onK43
  • Desde outubro de 2015, o número de jornalistas norte-americanos que trabalham em redações de jornalismo online ultrapassou os de impresso. Leia mais no Nieman Lab: bit.ly/1PfZs0l
  • A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) repudiou uma série de ações judiciais movidas por magistrados e promotores do Paraná contra cinco profissionais do jornal Gazeta do Povo. A nota se posiciona contra o assédio judicial e chama atenção para o acesso a informações que são de interesse público: bit.ly/1RYGP0G
  • Ainda sobre o caso, o diretor de Jornalismo da Gazeta do Povo, Leonardo Mendes Júnior, afirmou que este é “o mais forte ataque à liberdade de imprensa” desde a redemocratização do país. Leia a entrevista completa: bit.ly/1tlm9w1
  • Dezenove profissionais venezuelanos, entre jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas, foram agredidos em Caracas, capital do país. Grupos de civis armados atacaram as equipes durante a cobertura de um protesto de rua. Para César Batiz, diretor do jornal El Pitazo, o agravamento no número de agressões contra jornalistas reflete a crise política e econômica atravessada pela Venezuela: bit.ly/21aYE2Z
  • Uma ferramenta digital lançada recentemente pelo CPJ (Comitê para a Proteção dos Jornalistas) permite “vazamentos seguros e anônimos” para jornais ou organizações. A plataforma foi gerada a partir do sistema SecureDrop, em código aberto, o que permite a criptografia das informações: bit.ly/1UEPc3e
  • A agência Sputnik entrevistou Janna Jihad, uma menina de 10 anos que cobre a violência israelense no território palestino: bit.ly/1WH6DXd
  • Faça o download do livro “Ciberpolítica – Conceitos e Experiências”, de Francisco Paulo Jamil Marques, lançado gratuitamente pela Coleção Cibercultura. A obra relaciona Internet e temas diversos, como transparência, governo eletrônico, exclusão digital e eleições: bit.ly/1sxM5nm
  • Leia também uma reportagem do jornal Nexo que indaga: se a Internet é uma ferramenta política, como ficam os desconectados? O texto é assinado pelo jornalista João Paulo Charleaux: bit.ly/1ZCfLKP
  • Agência Pública disponibilizou o streaming de uma entrevista aberta ao público realizada com os jornalistas Glenn Greenwald e Jonathan Watts. A conversa foi ao ar no final de maio e abordou a situação da política brasileira vista pelos olhos dos jornalistas estrangeiros: bit.ly/245KVeq
  • Jornalismo de dados e jornalismo de sustentabilidade financeira foram discutidos em um evento promovido pela ONA Brasil. Os vídeos com as mesas de discussão do encontro já estão disponíveis: bit.ly/24DSg5g
Advertisements