Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por jornalismo e ética:

  • O assassinato em massa de 50 pessoas em Orlando é o pior ataque nos Estados Unidos desde o 11 de setembro. A cobertura jornalística sobre o caso enfrentou alguns dilemas éticos que são comuns a eventos trágicos. Quais são as primeiras informações que devem ser noticiadas? O jornalista pode apontar com clareza as motivações dos assassinatos? É necessário visiblizar a identidade do atirador ou ela pode ser preservada? O Columbia Journalism Review conversou com diversos editores para discutir esses pontos: bit.ly/265YTQs
  • Por que uma lei para a proteção de dados pessoais é necessária? Marina Pita, membro do Conselho Diretor do coletivo Intervozes, responde essa questão e defende a aprovação da PL 5276/2016, que visa proteger a privacidade do usuário: bit.ly/1XYygMv
  • Um guia sobre a governança da Internet explora as ameaças à liberdade de expressão que a rede experimentou nos últimos anos. Censura, vigilância, privacidade e o papel das companhias de telecomunicações são temas da obra, lançada em conjunto pela organização alemã DW Akademie e o laboratório iRights. O download é gratuito: bit.ly/1sIcLSD
  • A Rede de Jornalistas Internacionais indica três detectores de plágio gratuitos para que redações descubram se possuem conteúdos copiados: bit.ly/23aXlTp
  • O italiano Il Giornale distribuiu cópias do livro Mein Kampf, de Hitler, aos leitores que comprassem a edição de sábado do jornal. O periódico justificou-se argumentando que é necessário “conhecer para recusar” e que “aprender com os erros do passado é nosso dever”. Matteo Renzi, primeiro-ministro do país, repudiou a iniciativa: bit.ly/1YuMWkZ
  • Coberturas em zonas de conflito podem impactar a saúde mental de jornalistas. O Observatório da Imprensa traduziu um artigo publicado originalmente no The Guardian sobre traumas e emoções que profissionais vivenciam ao escrever reportagens sobre refugiados: bit.ly/1YvkSh6
  • O jornalista Alceu Luís Castilho criticou a cobertura insipiente do jornal Estadão sobre o assassinato do indígena Clodiodi de Souza, em Mato Grosso do Sul: bit.ly/1XYCZO5
Advertisements