Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por jornalismo e ética:

  • Jornalistas do Rio de Janeiro foram agredidos e censurados por seguranças de um metrô, na terça-feira (5). Os profissionais tentaram registrar o ataque dos funcionários a manifestantes que realizavam um “catracaço” no local. Leia mais sobre o caso no relato de Matias Maxx, repórter da Vice Brasil: bit.ly/29A5krX
  • O governo de Santa Catarina liberou verba pública para duas edições do Donna Fashion DC, evento privado do grupo RBS. Os dados foram apurados na segunda reportagem de Farol, uma recente iniciativa de jornalismo em Florianópolis: bit.ly/29tpUri
  • A trajetória do teórico marxista e professor de jornalismo da UFSC Adelmo Genro Filho foi tema de um documentário produzido por alunos da Universidade Federal de Santa Maria. Assista “Um gesto que se fez: a luta e a obra de Adelmo Genro Filho”: bit.ly/29tLY65
  • Está disponível o vídeo da conferência de abertura do evento “Raça, Etnia e Ética Jornalística”, promovido pela Universidade de Wisconsin-Madison. O painel é formado por Henry Sanders, Alan Gomez e Patty Loew, com mediação de Sue Robinson, e discute as representações raciais e étnicas na mídia: bit.ly/29o48Ga
  • Um encontro sobre jornalismo fact-checking aconteceu no começo de junho em Buenos Aires, Argentina. A Rede de Jornalistas Internacionais entrevistou Alexios Mantzarlis para falar sobre o boom dos verificadores de fatos: bit.ly/29iXx1h
  • O interesse público não deve ser confundido com o interesse do público, alerta Ammu Joseph. A partir do caso de uma jovem indiana assassinada em Chennai, no sul da Índia, o jornalista reflete sobre a influência de rumores que nascem nas mídias sociais e podem impactar a cobertura jornalística: bit.ly/29kJN46
  • Apenas 2,5% dos leitores utilizam seu tempo para assistir vídeos, em contraste com os 97,5% que consomem textos jornalísticos. Os resultados são a conclusão de um relatório do Instituto Reuters chamado “The Future of Online News Video”, que entrevistou 30 redações da Europa e América do Norte. Leia mais sobre o assunto: bit.ly/29rBgx5 Acesse a pesquisa: bit.ly/292PhOF
  • Se pudesse fundar uma redação, quais valores você enfatizaria para torná-la diferente do jornalismo tradicional? A partir dessa provocação, Meredith Clarker conversou com jornalistas para saber o que eles recomendariam. Autenticidade, inclusão, autonomia e accountability foram alguns dos citados: bit.ly/29zH8mZ
  • Uma série de ataques contra o jornal Tiempo Argentino aconteceram na madrugada do dia 4, em Buenos Aires. O grupo de vinte pessoas agrediu três funcionários e destruiu equipamentos da redação: clar.in/29gdpmp
  • Há mais de quatro anos, Julian Assange vive como exilado. O artigo de Ignacio Ramonet traz um breve histórico do Wikileaks e reflete sobre as violações de direito contra o ciberativista: a presunção de inocência e a liberdade de informação. Leia mais: bit.ly/29qbecZ
  • O código de ética da canadense RTDNA (Radio Television Digital News Association) foi atualizado. O texto inclui cinco valores centrais – acurácia, justiça, independência, integridade e respeito: bit.ly/29qktd8
  • Observatório da Imprensa traduziu um artigo que apresenta quatro razões para o sucesso crescente do Snapchat. Ao final, o texto sugere que a plataforma móvel contaminará de vez as redações jornalísticas em 2017, especialmente na cobertura da próxima eleição presidencial norte-americana: bit.ly/29veVPv
Advertisements