Cobertura jornalística e direito de defesa, erros jornalísticos, importância e novos desafios da profissão são alguns dos temas do seminário que o Observatório da Ética Jornalística promove no próximo dia 7 de outubro, no Auditório da Biblioteca Universitária da Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis.

Como parte da comemoração dos seus sete anos de existência, o objETHOS convidou especialistas para duas sessões temáticas. A primeira, “Crítica de Mídia: balanços, métodos e desafios”, com início às 9 horas, terá a participação dos professores doutores Carlos Camponez (Universidade de Coimbra, Portugal), Samuel Lima (objETHOS) e Gislene Silva (Grupo de Pesquisa Críticas de Mídias e Práticas Culturais, USP/UFSC).

A segunda sessão (“Olhar crítico: a cobertura jornalística e o direito de defesa no Brasil”), que começa às 14 horas, é uma parceria com Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI). Com a mediação do professor Rogério Christofoletti, os advogados criminais Rodrigo Dall’Acqua e Renato Boabaid, que representam o Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD), debatem com o jornalista Marcelo Träsel, da diretoria da ABRAJI.  A ideia é promover uma reflexão sobre a temática a partir do olhar crítico de quem atua na área, de profissionais do jornalismo e de pesquisadores e observadores de mídia.

Sobre o objETHOS

O projeto Observatório da Ética Jornalística (objETHOS) é uma realização do Departamento de Jornalismo e do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (Posjor) da Universidade Federal de Santa Catarina e tem por objetivo acompanhar e monitorar a ética praticada por jornalistas e meios de informação, desenvolvendo investigações para teses, dissertações e estudos específicos sobre ética jornalística, crítica de mídia, identidade profissional, tecnologias associadas ao jornalismo, novos modelos de negócio e de produção jornalística, mídia independente, e novas configurações do ecossistema informativo. Com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão da UFSC, da Capes e do CNPq, o objETHOS disponibiliza em seu site estudos sobre condutas e valores no jornalismo, com ênfase nas reflexões sobre ética profissional e deontologia, além de resenhas de filmes, papers e relatos de pesquisa, e-books, vídeos, entrevistas, códigos de ética e outros materiais.

Sobre os participantes do evento

Gislene Silva

Professora do Programa de Pós-Graduação e do Departamento em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutora em Ciências Sociais/Antropologia pela Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC-SP). Autora do livro O sonho da casa no campo: jornalismo e imaginário de leitores urbanos (Ed. Insular). Líder do Grupo de Pesquisa Crítica de Mídia e Práticas Culturais. Bolsista de produtividade do CNPq. Acaba de retornar da Espanha, onde fez seu pós-doutorado sobre crítica de mídia na Universidad Complutense de Madrid.

Samuel Lima

Jornalista e doutor em Mídia e Teoria do Conhecimento (UFSC). Foi professor da Universidade de Brasília (UnB) de 2009 a 2016. É professor de jornalismo na UFSC. Um dos coordenadores do “Perfil profissional do jornalismo brasileiro”, integra o projeto “Journalistic Role Performance Around the Globe – Etapa Brasil” e a pesquisa “Governança Social, Produção e Sustentabilidade para um jornalismo de novo tipo”. Pesquisador do Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO/UFSC) e do objETHOS. Autor e co-organizador de vários livros, entre eles Perfil do Jornalista Brasileiro (2013). Em 2016, lançou Jornalismo, Crítica e Ética, organizado com Francisco José Castilhos Karam.

Carlos Camponez

Professor auxiliar da Faculdade de Letras e diretor do 1º Ciclo em Jornalismo e Comunicação da Universidade de Coimbra (Portugal). É coordenador do grupo de pesquisa Comunicação, Jornalismo e Espaço Público do Centro de Estudos Interdisciplinares do Séc. XX (Ceis20). É pesquisador de ética profissional e autor de Deontologia do Jornalismo – A autorregulação frustrada dos jornalistas portugueses, entre outros livros.

Marcelo Träsel 

Jornalista, mestre em Comunicação e Informação (UFRGS) e doutor em Comunicação Social (PUCRS). Atua como professor adjunto no departamento de Jornalismo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Integra a diretoria da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI) desde 2014.

Rodrigo Dall’Acqua

Advogado criminal. Formado em 1999 pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), tem especialização em Direito Penal Econômico, Internacional e Europeu pelo Instituto de Direito Penal Económico e Europeu da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e em Direito Ambiental pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP). É diretor do Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD) e membro da Comissão de Estudos da Concorrência e Regulação Econômica da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção de São Paulo, do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim), do Comitê Jurídico da Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio e do Instituto Brasileiro de Estudos de Concorrência, Consumo e Comércio Internacional (IBRAC).

Renato Boabaid
Advogado criminal. Graduado pela Universidade do Vale do Itajaí – Campus Biguaçu/SC, 2002-1. Formado pela Escola Superior da Magistratura de Estado de Santa Catarina – ESMESC – 2002/2003. Atual VICE-PRESIDENTE da AACRIMESC – Associação dos Advogados Criminalistas do Estado de Santa Catarina, na gestão 2014 a 2017. Sócio do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCCRIM – desde 2009, nomeado em fevereiro de 2013, como Coordenador Estadual do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCCRIM – para o Estado de Santa Catarina, 17ª COODENADORIA ESTADUAL. Membro efetivo da Comissão de Assuntos Prisionais da Capital da Ordem dos Advogados de Santa Catarina, desde 2010.

Advertisements