Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por ética e jornalismo:

  • O Projeto Credibilidade reúne jornalistas e pesquisadores para desenvolver ferramentas que identifiquem conteúdos confiáveis na internet. Inspirado no norte-americano Trust Project, a versão brasileira é uma parceria entre o Projor (Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo) e a Unesp. A etapa inicial do projeto elencará critérios para aferir a credibilidade jornalística, através de pesquisas com 300 jornalistas. Em 2017, serão realizados hackatons para o desenvolvimento de um protótipo que sirva como modelo de jornalismo de qualidade. Leia mais: bit.ly/2i7t7jj
  • Fotos e vídeos do assassinato do embaixador russo Andrei Karlov em uma galeria de arte na Turquia suscitaram debates a respeito dos seus usos nos meios de comunicação. O material deve ser publicado? Qual é a responsabilidade dos jornais em veicular esse conteúdo? Quais efeitos podem ser causados com a exposição? Hernán Restrepo discute os dilemas éticos que permeiam o caso: bit.ly/2ifT4jT
  • O jornalista Lúcio de Castro lançou nessa semana a Agência de Jornalismo Investigativo Sportlight, voltada à cobertura de esportes. Na estreia, um dossiê sobre as verbas que movimentam o patrocínio da Confederação Brasileira de Judô: bit.ly/2hO87Ad
  • Cobrir acidentes, guerras e catástrofes pode causar traumas psicológicos em jornalistas e afetar o seu desempenho. A professora Lindsay Palmer, da Universidade de Wisconsin-Madison, defende que a saúde mental de profissionais freelancer ou de redação é uma questão ética importante, embora pouco discutida pelas empresas jornalísticas: bit.ly/2hf5yqf
  • NiemanLab disponibilizou a sua série de textos anuais com previsões para o jornalismo, dessa vez voltado para 2017. São 77 artigos sobre temas diversos, como realidade virtual, jornalismo comunitário, transparência, diversidade, podcasts, qualidade e audiências: bit.ly/2gwMSn9
  • Baixe o e-book “Transmutações no Jornalismo” (EDUEPB), organizado por Fernando Firmino da Silva, com produções de 22 pesquisadores em 19 capítulos. A obra estreia a coleção “Jornalismo digital e mobilidades” e discute três eixos: “jornalismo para dispositivos móveis”, “jornalismo em contexto sociotécnico” e “narrativas, multimidialidades e personalização”. Acesse: bit.ly/2hYHV3O
  • Knight Center oferece o curso gratuito “Exploração de dados e narrativas”, com os professores Alberto Cairo e Heather Krause. A ideia é que os participantes entendam como construir histórias através de dados, relacionando também questões éticas. Por ser online, qualquer pessoa pode se inscrever. Mais informações: bit.ly/2h7TkMX
Anúncios