Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por ética e jornalismo:

– ONG Artigo 19 lançou na última segunda-feira (17) um site que analisa os três anos de vigência do Marco Civil da Internet: bit.ly/2oNrqwE.

– Os possíveis efeitos psicológicos que a realidade virtual pode causar em usuários traz novas preocupações éticas para o jornalismo. Quem chama atenção para o tema é Catherine Allen, que cria narrativas para o meio: bit.ly/2pFjKxR.

– Uma matéria do jornal The Washington Post traz dicas para ensinar crianças a utilizarem criticamente plataformas digitais, como Youtube, Twitter e Snapchat: wapo.st/2ou4K18.

– A Universidade de Michigan oferece a partir de hoje um curso online e gratuito sobre como distinguir notícias falsas de fontes credíveis: bit.ly/2n6Cu7s.

– “Jornalismo na era da obscenidade”: o professor George Nyabuga, da Universidade de Nairobi (Quênia), analisa uma cobertura sensacionalista do canal KTN sobre um caso de abuso sexual. O texto discute os valores presentes no tratamento jornalístico do tema e compara com o código de ética vigente no país: bit.ly/2pU7CWa.

– Baixe o e-book “Redes digitais: um mundo para os amadores. Novas relações entre mediadores, mediações e midiatizações”, organizado por Patrice Flichy, Jairo Ferreira e Adriana Amaral a partir de um seminário no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Unisinos: bit.ly/2pjNroc.

– Foi lançado ontem o jornal O Mirante, novo veículo de Joinville (SC). Acesse: bit.ly/2pHSbkz.

Advertisements