Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por ética e jornalismo:

– Comunicação, mídia e temporalidades são os temas da edição deste ano do livro anual da Compós (Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação). A organização é de Christina Musse, Herom Vargas e Marcos Nicolau. Baixe a obra: bit.ly/2s8Wl9K.

– Flexibilidade na tecnologia e inflexibilidade nos valores éticos. Confira uma entrevista com Ramon Salaverría, professor da Universidade de Navarra, sobre o futuro do jornalismo: bit.ly/2s8Y6nm.

– Um congresso na África do Sul discutiu crise do jornalismo e transparência com o leitor. Rosental Alves, diretor do Centro Knight para o Jornalismo, foi um dos painelistas: bit.ly/2rcUOKV.

– No Correio do Brasil, o editor-chefe Gilberto de Souza analisa os cuidados necessários à preservação de fontes. Um caso recente citado pelo jornalista é a prisão de Reality Winner, funcionária da Agência Nacional de Segurança que vazou informações ao The Intercept sobre ligações do governo russo nas eleições norte-americanas: bit.ly/2sl5RX6.

– Internet Lab publicou a segunda edição do relatório “Vigilância sobre as comunicações no Brasil”. O estudo aprofunda questões sobre vigilância em casos como a Receita Federal, ANATEL, Marco Civil da Internet, infiltrações através de softwares e interceptações telefônicas: bit.ly/2raLh6S.

– O site Baixa Cultura lançou uma biblioteca digital que reúne de artigos, teses e dissertações até fanzines e quadrinhos. Os temas variam entre tecnologias sociais, participação digital, cultura livre e economia colaborativa. Acesse: bit.ly/2sjRUbX.

Advertisements