Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por ética e jornalismo:

– Folha de S. Paulo entra com representação no TSE para investigar ameaças contra uma jornalista e um diretor da empresa. Os ataques começaram após a publicação da reportagem “Empresários bancam campanha contra o PT pelo Whatsappa”: bit.ly/2RaGaRB.

– O candidato Jair Bolsonaro (PSL) é autor de 23 ações em 2018 para remoção de notícias negativas e posts críticos a seu respeito: bit.ly/2PkUwl9.

– Exemplares do jornal Brasil de Fato foram confiscados por policiais e fiscais na sede de um sindicato de petroleiros, em Macaé (RJ): bit.ly/2AkZeqY.

– Abraji repudia a divulgação de celular de repórter em rede social feita pelo empresário Luciano Hang: bit.ly/2Apm4NR.

– Énóis discute como o jornalismo local consegue mobilizar votos contra e a favor de determinados candidatos: bit.ly/2yxN909.

– A fuga de Bolsonaro aos debates do segundo turno é compensada com espaços em emissoras de radiodifusão, o que contraria a legislação eleitoral. Leia mais na análise do coletivo Intervozes: bit.ly/2JfwmTE.

– E-books para download: baixe “Desigualdades, relações de gênero e estudos de jornalismo” (bit.ly/2OOjYA7), organizado por Leonel Aguiar, Marcos Paulo da Silva e Monica Martinez, e “Emergências periféricas em práticas midiáticas” (bit.ly/2JgdkMO), com organização de Rosana de Lima Soares e Gislene Silva.

Anúncios