Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por ética e jornalismo:

– Observatório da Imprensa reúne coletânea de textos que discutem perspectivas para o jornalismo brasileiro em 2019. São abordados temas como jornalismo político, algoritmos e jornalistas com deficiência: bit.ly/2QI9qmV.

– Leia também o especial “O jornalismo no Brasil em 2019”, organizado pelo Farol Jornalismo em parceria com a Abraji. Desafios do fact-checking, combate à desinformação, jornalismo e periferia, gênero e diversidade, jornalismo na Amazônia e credibilidade da informação são alguns dos tópicos discutidos: bit.ly/2SQgeLS.

– Jornalistas mulheres são assediadas a cada 30 segundos em mensagens do Twitter. A pesquisa foi conduzida pela ONG Anistia Internacional e contou com o uso de inteligência artificial para mapear centenas de milhares de tweets enviados em 2017: bit.ly/2UT1tdj.

– Confira uma seleção das melhores reportagens investigativas em português de 2018, segundo Breno Costa, editor da Global Investigative Journalism Network: bit.ly/2PWr7du.

– Repórteres que trabalharam em parceria com o Facebook em projetos de checagem perderam a confiança na plataforma. Segundo os jornalistas consultados para a matéria do The Guardian, a rede social utilizou os profissionais para solucionar uma crise de imagem, sem o propósito de combater a fundo o problema da desinformação: bit.ly/2QsVw8c.

– A guinada à direita na linha editorial de Gazeta do Povo (Paraná) é discutida pelo repórter Rafael Moro Martins, no The Intercept Brasil: bit.ly/2A6D4I7.

– Jornalista da revista alemã Der Spiegel admite ter falsificado 14 reportagens inventando personagens e informações: bit.ly/2QGGcF3.

– Na edição de estreia do podcast Tecnopolítica, o professor Sergio Amadeu da Silveira (Universidade Federal do ABC) discute as implicações políticas, econômicas e sociais dos algoritmos: bit.ly/2EDLvP0.

– Periódico Journalism comemora 20 anos e lança edição especial que discute desafios contemporâneos do jornalismo: bit.ly/2POR8LH.

Anúncios