O projeto de extensão do objETHOS prossegue neste semestre em duas escolas da região metropolitana de Floripa: Governador Ivo Silveira (Palhoça) e o Centro de Educação Jovem de São José (CEMAJOBA). Na primeira, serão cinco turmas de 2º Ano (cerca de 90 estudantes) e na segunda, quatro turmas de 3º Ano (106 estudantes) do ensino médio. Batizado de “Educação para crítica de mídia nas escolas públicas”, o projeto tem como objetivo geral discutir o papel dos meios de comunicação na sociedade e a necessidade de todos e todas observarem criticamente a mídia jornalística.

Na EEB Gov. Ivo Silveira, 89 estudantes lotaram o auditório da escola na semana passada. A participação foi intensa e vários alunos e alunas fizeram abordagens críticas e profundas sobre o papel da mídia na discussão de temas como violência contra a mulher, feminicídio, relações abusivas e desigualdade de gênero no mercado de trabalho. Os estudantes responderam a um questionário no final do encontro, ao qual destacamos: 76% acessam informações jornalísticas pela internet (contra 27% na televisão). Os próximos temas que serão discutidos, por escolha da maioria dos alunos e alunas desta escola serão sobre: saúde mental (suicídio e depressão), política e violência.

No CEMAJOBA, em São José, 106 estudantes debateram o mesmo tema, com notável participação e olhar crítico. As formas dissimuladas do machismo presente na cobertura jornalística dominante, a identificação das relações abusivas e a enorme distância entre homens e mulheres no mercado de trabalho (salário e cargos de liderança) foram destacados pelos alunos e alunas. Das questões respondidas nos questionários, registramos: o principal meio de acesso às informações jornalísticas é a internet (98%), contra apenas 26% da televisão. Os próximos temas que serão discutidos nesta escola, por escolha da maioria dos estudantes serão: racismo, política e desigualdade social.

Professor Samuel Lima e estudantes do CEMAJOBA debatem sobre questões de gênero na mídia jornalística. Foto: Juliana Freire

Pela equipe do objETHOS/UFSC participaram das rodas de conversa as pesquisadoras Gabriela Schander (mestranda) e Juliana Freire (doutoranda) e o pesquisador Ricardo Torres (doutorando), todos vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da UFSC. As acadêmicas de jornalismo da UFSC Klay Silva e Giuliana Arruda também atuaram nas atividades, que foram coordenadas pelo professor Samuel Lima (Jornalismo/UFSC). Nas duas escolas foi notável também a participação de professores e professoras, que contribuíram com suas reflexões, conhecimento e crítica.

Anúncios