A formação de crenças nas bolhas virtuais e o modo como isso afeta o jornalismo no Brasil serão debatidos por Sylvia Moretzsohn na tarde desta sexta-feira (27), em Florianópolis. A professora da Universidade Federal Fluminense (UFF) e pesquisadora da Universidade do Minho, em Portugal, participará da jornada “Jornalismo, Democracia e Direito à Informação”. O evento gratuito ocorre a partir das 9h30, no auditório Henrique Fontes no Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina (USFC).

Sylvia Moretzsohn retomará as raízes históricas das fragilidades democrática e jornalística brasileiras. O objetivo é refletir, segundo Moretzsohn, sobre o fenômeno da desinformação e o recrudescimento do fascismo em nível mundial, que desestabiliza os ideais democráticos e propicia a formação de guetos virtuais. “É aqui que a questão da credibilidade, intrinsecamente ligada ao jornalismo e ao convívio democrático, precisa ser discutida em profundidade: porque todos os esforços em favor do esclarecimento do público, isto é, da realização dos ideais clássicos do iluminismo que estão na origem do jornalismo e da democracia modernos, se chocam com o crédito que uma significativa parcela do público dá à mentira – a isso que se convencionou chamar de fake news”, explica. 

Ao lado do professor e  um dos coordenadores do objETHOS, Samuel Lima, Moretzsohn debaterá ainda quais possibilidades do jornalismo para contribuir com uma leitura mais crítica do mundo por parte dos leitores e menos embasada em crenças e convicções. A mesa “Do jornalismo que temos à democracia que queremos” será às 14h e contará com a mediação de Rogério Christofoletti, do objETHOS e também presidente da Comissão de Ética do Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina.

A jornada “Jornalismo, Democracia e Direito à Informação”, também contará como palestrantes, com o fundador do website Brio e da newsletter Brasil Real Oficial, Breno Costa, e a diretora financeira da agência de dados públicos Fiquem Sabendo, Maria Vitória Ramos. Eles participarão da mesa “Dados abertos e cidadania informada”, marcada para às 10h.

O evento é promovido pelo Observatório da Ética Jornalística (objETHOS) e marca os dez anos de atividades do grupo de pesquisa, extensão e crítica de mídia. Além disso, integra a programação comemorativa de 20 anos da Rádio Ponto UFSC e dos 40 anos do curso de Jornalismo da instituição.

As inscrições para a jornada podem ser feitas no local: Auditório Henrique Fontes (CCE/UFSC), ou pelo e-mail objethos@gmail.com.