A equipe do “objETHOS nas escolas” realizou as duas últimas rodas de conversa do segundo semestre aos espaços de ensino públicos. Os encontros ocorreram na escola Júlio da Costa Neves (Costeira do Pirajubaé, em Florianópolis), no dia 3 de dezembro e na escola Irmã Maria Teresa (Ponte do Imaruim, no município de Palhoça), no dia 10. As atividades marcam o encerramento das atividades do projeto de extensão neste semestre.

Os temas tratados durante as rodas de conversa foram educação com alunos e alunas do 3º Ano, da escola Júlio da Costa Neves, e saúde mental entre jovens, com estudantes do 2º Ano do ensino médio da escola Irmã Maria Teresa.

Os debates sobre as coberturas de educação e saúde mental nas páginas e espaços midiáticos foram motivados pela exibição de vídeos, produzidos ou pesquisados pela equipe do objETHOS, e por uma seleção de materiais jornalísticos que tratavam da temática – publicados em diferentes veículos.De maneira geral, os/as alunos e alunas apontaram que as questões relacionadas à saúde mental e ao suicídio são negligenciadas nos espaços de interação social e nas abordagens jornalísticas de veículos de comunicação. Quanto à educação, os veículos do jornalismo independente (Nexo Jornal, Agência Pública, A Ponte Jornalismo etc.) fazem uma cobertura mais qualificada, embora haja editorias especializadas em educação em portais como G1 e UOL, que publicam boas reportagens. A percepção geral é que a pauta educação aparece, de forma predominante, em seus aspectos negativos (carências, problemas do sistema público, dificuldades) e não nas experiências e conquistas das instituições e estudantes.

Professor Samuel e Denise, mestranda do PPG/JOR em último encontro na escola Júlio da Costa Neves. Imagem: Giuliana Arruda


Na etapa final dos encontros os alunos responderam um questionário de avaliação sobre os métodos, materiais e conteúdos apresentados, essas percepções sobre jornalismo, hábitos de leitura, usos e apropriações de ferramentas de comunicação servirão de base para os relatórios e para as próximas etapas do projeto.

Participaram desta atividade os pesquisadores Ricardo Torres (doutorando, PPGJOR/UFSC), Denise Becker (mestranda do PPGJOR/UFSC) e Marcionize Bavaresco (doutoranda, PPGJOR/UFSC); Giuliana Arruda, estudante de jornalismo da UFSC e bolsista do objETHOS. As rodas de conversa foram coordenadas pelo professor Samuel Lima (objETHOS/UFSC).

Após cinco semestres de atuação (2017.2 a 2019.2) e trabalho junto a nove escolas de Florianópolis e Região Metropolitana, o projeto de extensão do objETHOS (Educação para crítica de mídia nas escolas públicas)  irá suspender as suas atividades, em 2020, para avaliar os resultados obtidos, aprimorar e refinar a metodologia da iniciativa. As atividades do projeto devem ser retomadas em 2021.

Publicidade