O doutorando Ricardo José Torres defende na próxima segunda-feira, 11, a tese “Jornalismo vigilante sob vigilância: vulnerabilidades e potencialidades do jornalismo investigativo brasileiro”. O trabalho é a 16ª tese de doutorado produzida e orientada no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR/UFSC).

Orientado pelo professor Rogério Christofoletti, a tese examina ações que envolvem o jornalismo investigativo, apontando potencialidades e vulnerabilidades no ecossistema digital. Além disso, o trabalho verifica implicações da intrusão comunicacional na atividade jornalística e defende a necessidade de estímulos e convenções relacionadas com a formatação de uma cultura de riscos digitais para jornalistas.

Atendendo às orientações sanitárias excepcionais, a banca de defesa acontece por sistema de videoconferência, e é aberta para assistência. Participam como avaliadores os professores Rafael de Almeida Evangelista (Unicamp), Daiane Bertasso e Stefanie Carlan da Silveira (ambos da UFSC). A sessão começa às 14 horas e o link para acompanhar a defesa será informado pelo Twitter do PPGJOR momentos antes do início.