objETHOS

Observatório da Ética Jornalística

Extensão nas Escolas

ObjETHOS nas Escolas Públicas: educação e crítica em debate

Vivenciamos um período histórico no qual as informações que acessamos constituem algo vital e elementar para a convivência em sociedade, para o desenvolvimento intelectual e para a capacidade crítica dos indivíduos. O assentamento de escolhas, a manutenção e avanço das liberdades civis e a possibilidade de aprimoramento e desenvolvimento da democracia estão diretamente relacionados com a disponibilidade e consumo de informações, oriundas de um contexto plural, que provoque a reflexão sobre os papéis da mídia, possibilitando escolhas, diferenciações, complementações e leituras. Nesse universo, um indivíduo informado e ciente do seu potencial crítico e reflexivo têm condições de explorar a sua cidadania.

Desse contexto emerge a indicação dos caminhos trilhados pela educação e crítica para mídia que, atualmente, se consolida como uma necessidade dentro do ambiente escolar por estar conectada a formação de agentes de mudança e aprimoramento social. Em linha com esta perspectiva, surge o Grupo de Educação para a Mídia, projeto conexo ao Observatório da Ética Jornalística (objETHOS/UFSC), que tem como atividade fim, levar o conhecimento sobre o papel da mídia na sociedade, gerado a partir das reflexões dos pesquisadores do objETHOS, aos estudantes do ensino básico, preferencialmente de escolas públicas, da Grande Florianópolis.

Em um cenário de hiperinformação, onde o cotidiano de um número expressivo de pessoas é movido e dependente de dispositivos e aparatos comunicacionais, a importância da educação e crítica para mídia é amplificada. Nossas vidas são transpassadas pela propagação das mídias e de diferentes canais de informação. Para além da habilidade de manusear equipamentos e entender dinâmicas comunicacionais, está a possibilidade de explorar as diferentes formas de conhecimento possibilitadas, particularmente pelo universo digital, dentre as quais, o jornalismo. Diferentes dimensões envolvem o uso e apropriação das informações jornalísticas como, por exemplo: a avaliação do conteúdo, a sua relevância e credibilidade, a liberdade de expressão e o direito à informação.

Neste sentido, a proposta é abrirmos um amplo debate com o público alvo dessa iniciativa, potencial leitor em formação para o jornalismo, por meio de atividades que serão organizadas, concomitante ao semestre letivo, e implicarão primeiramente em mapeamento, visitas às direções das escolas com a finalidade de elaborarmos uma agenda de atividades (palestras, oficinas e minicursos), a partir do primeiro semestre de 2017.

Do ponto de vista do público, a ideia é focar as iniciativas para estudantes entre 15 a 17 anos, equivalente à média da faixa etária do Ensino Médio, conforme dados disponíveis no Censo Escolar da Educação Básica (INEP, 2013).

Ações a serem empreendidas

Preliminarmente, pretendemos desenvolver um conjunto de ações combinadas e não excludentes, progressivamente:

a) Mapeamento e Agenda: com base nos dados disponíveis, elaboramos um mapeamento de toda região Metropolitana, acrescentando dados institucionais. Feito isso, elaboramos uma agenda de visita às escolas para discutir o projeto com suas direções e/ou coordenações pedagógicas, conforme o caso.

b) Atividades de Extensão: Com base nesse trabalho de mapeamento e visitas, elaboramos um Cronograma de Atividades contemplando pelo menos três ações de extensão: palestras; oficinas e minicursos envolvendo o tema educação para a mídia.

Resultados esperados

Alguns indicadores de avaliação podem auxiliar a mensuração da taxa de sucesso deste projeto, a saber:

a) Número de estudantes envolvidos nas atividades, semestralmente;

b) Número de escolas contempladas pelo projeto;

c) Avaliação descritiva, do ponto de vista dos estudantes (público-alvo) sobre os conteúdos oferecidos nas ações de extensão.

A expectativa maior é que possamos contribuir para a formação crítica dos estudantes da educação básica pública, na Grande Florianópolis, no que diz respeito ao consumo dos produtos e conteúdos veiculados pelos meios de comunicação (jornais impressos, rádio, TV e internet) no âmbito regional.