Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por jornalismo e ética:

  • O representante do público junto aos veículos do grupo Edipresse Suisse, Daniel Cornu, se pergunta quais são os limites da vida privada na internet. Em francês: http://bit.ly/tmLzQ7
  • O comissário de Direitos Humanos europeu, Thomas Hammarberg, é favorável a “um sistema de autorregulação” dos meios de comunicação a partir de um código de ética que evite abusos. A declaração é resultado de discussões após o escândalo britânico das escutas ilegais do jornal News of the World: http://bit.ly/vij7rJ
  • A ONG Artigo 19 produziu um dossiê sobre a situação do direito à verdade no Brasil frente ao sistema interamericano de direitos humanos. O documento surge após a criação da chamada Comissão da Verdade no país: http://bit.ly/umnWMN
  • Ações judiciais contra comunicadores, em especial, blogueiros foram tema de debates na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados em Brasília: http://bit.ly/tI2xQ7
  • A University of Washington Communications Building é uma das promotoras de um evento importante na capital norte-americana sobre jornalismo esta semana. Coberturas de assuntos delicados, ética e futuro do jornalismo serão alguns dos temas debatidos. Em inglês: http://bit.ly/w39Z7m
  • O professor inglês Paul Bradshaw analisa um estudo de caso muito interessante em que uma reportagem investigativa é feita a partir de crowdsourcing. Três posts em inglês: aqui, aqui e aqui.