Na última quinta-feira, 31 de agosto, pesquisadores do ObjETHOS mediaram a segunda roda de conversas com alunos das escolas públicas de Santa Catarina. O objetivo é a continuidade do projeto de extensão de educação para a crítica de mídia, que pretende, até 2019, contribuir para a formação crítica dos estudantes no que diz respeito ao consumo dos produtos midiáticos.

O assunto dos debates foi a cobertura política, tema escolhido pelos próprios alunos em questionário aplicado no primeiro encontro, realizado em junho. Sob coordenação do professor Samuel Lima e com a participação dos pesquisadores Lívia Vieira e Ricardo Torres (doutorandos do PosJor/UFSC), foi apresentada aos alunos a edição especial do jornal-laboratório Zero sobre a crise política, além de um vídeo com os graduandos da UFSC que fizeram o jornal. Foi possível conhecer o processo de produção de uma publicação jornalística, que tem desafios como tempo exíguo e complexidade dos assuntos tratados.

Nas Escolas de Educação Básica Simão José Hess (Trindade) e Padre Anchieta (Agronômica), em Florianópolis (SC), alunos e alunas analisaram o papel da mídia brasileira no impeachment de Dilma Rousseff, destacando casos de parcialidade e manipulação. Alguns disseram que se informam pelo Twitter e pelo Facebook, e mencionaram veículos como BBC Brasil, UOL e canais no YouTube como fontes de informação. “Os estudantes mostraram senso crítico e noção de conceitos como fake news, além de boa interpretação de manchetes em diferentes veículos, observando as diferentes angulações de uma mesma cobertura”, observa o professor Samuel Lima.

Nesta fase experimental, a ideia é mesmo essa: permitir que os alunos debatam e levantem questões sobre os assuntos propostos. A próxima roda de conversas está prevista para o fim deste mês de setembro, em ambas escolas, quando será trabalhado o tema do feminismo, também escolhido pela maioria dos estudantes.

Advertisements