Os primeiros 15 dias de coleta de respostas do “Perfil dos Jornalistas Brasileiros 2021: características sociodemográficas, políticas, de saúde e do trabalho” mobilizaram profissionais de todas as regiões brasileiras. Até segunda-feira (30), cerca de 3.100 pessoas já haviam colaborado com o estudo, que passa agora a reforçar a busca por representatividade regional, intensificando o trabalho em rede. Podem participar da investigação profissionais que atuam na mídia, fora da mídia e na docência. 

O questionário está disponível no link: surveymonkey.com/r/perfiljornalista 

O período de coleta segue até o dia 30 de setembro e o objetivo é atingir o maior número de respostas válidas. Por isso, Samuel Pantoja Lima (UFSC), coordenador geral do estudo, destaca ser fundamental o engajamento dos/as trabalhadores/as da categoria na divulgação do questionário. “Esperamos atingir um número expressivo de profissionais para que os resultados reflitam a realidade do nosso ofício no país. Por isso, pedimos a participação dos/as jornalistas na pesquisa e também na divulgação desse trabalho”, reforça.

A segunda edição da pesquisa foi lançada em 16 de agosto e tem como objetivo ampliar o estudo realizado em 2012 para compreender a cultura profissional, considerando principalmente fatores como condições de trabalho e saúde dos/as jornalistas. Também busca verificar características desses profissionais como gênero, cor-raça, escolaridade, salário, função e outros elementos sociodemográficos. 

Outro ponto destacado pela investigação são as relações entre indicadores políticos, como autoidentificação ideológica e taxa de sindicalização, além de apontar os índices de jornalistas com formação superior e com registro profissional. De acordo com o coordenador geral da pesquisa, Samuel Pantoja Lima, “a iniciativa busca contribuir, por meio de um panorama informacional relevante, para o fortalecimento do Jornalismo e da profissão”.

A proposta é uma ação da Rede de Estudos sobre Trabalho e Identidade dos Jornalistas (RETIJ), vinculada à Associação Nacional dos Pesquisadores em Jornalismo (SBPJOR). É articulada por um conjunto de pesquisadores/as voluntários/as de todas as regiões brasileiras e coordenada pelos Programas de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR) e Sociologia e Ciência Política (PPGSP) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com a parceria do Laboratório de Sociologia do Trabalho (Lastro/UFSC). 

O Perfil do Jornalista Brasileiro conta com o apoio institucional de outras entidades nacionais da área: Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (ABEJ), Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Associação Profissão Jornalista (APJor), Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e a Associação Nacional de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJOR). A Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM) também ofereceu apoio na divulgação e mobilização de respondentes ao questionário.

Publicidade