Paradas obrigatórias para quem pensa e se interessa por ética e jornalismo:

  • A Abraji e o Farol Jornalismo lançaram o especial O Jornalismo no Brasil em 2017, com 13 textos de especialistas com algumas perspectivas para o ano que vem. Entre os assuntos, ética, tecnologia, empreendedorismo, investigação, checagem de fatos, mobile e diversidade: bit.ly/2hcH6GS
  • Um relatório recente produzido pela ONG Repórteres sem Fronteiras, em parceria com o site Ojo Público, destacou a alta concentração de mídia no Peru. Grupo El Comercio, ATV e Latina dominam 84% do mercado: bit.ly/2hdZahq.
  • No Canadá, entidades assinaram uma carta aberta ao governo demonstrando preocupação com a falta de liberdade de imprensa no país. O texto cita um caso recente de um jornalista espiado pela polícia: bit.ly/2hbnYqd.
  • Um mecanismo para a proteção de jornalistas pode ser efetivado no Paraguai. Na semana passada, os três poderes de Estado do país, com o apoio da Unesco, se uniram para assinar uma carta de intenção que reforçou o pedido por maior segurança aos profissionais: bit.ly/2he2n0m.
  • Carlos Castilho analisa a desinformação como uma estratégia política, chamando a atenção para o alto número de notícias falsas durante as eleições norte-americanas: bit.ly/2gIyzYy.
  • Red Ética Segura também destaca a necessidade de se combater a “crise da pós-verdade”. Luciano Floridi, professor de ética e autor do artigo, destaca iniciativas preocupadas com questões relativas à transparência e confiabilidade dos conteúdos, como o Conselho de Ética dos Dados, na Inglaterra: bit.ly/2gkd5DH.
  • Está disponível para leitura o e-book “Internet e eleições no Brasil”, com produções de docentes e discentes da UFPR. O livro divide-se em três eixos: público nas redes sociais, candidados em espaços online e webjornalismo em período eleitoral. Leia: bit.ly/2haLBiv.
Advertisements